Diretrizes e normas para publicação na R@U – Revista de Antropologia da UFSCar

A pertinência para publicação será avaliada pela Comissão Editorial (no que diz respeito à adequação ao perfil e linha editorial da revista) e por pareceristas ad hoc (no que diz respeito ao conteúdo e qualidade das contribuições). Serão aceitos originais também em espanhol, francês e inglês.

O envio de manuscritos implica a cessão de direitos autorais e de publicação à revista.

Para quaisquer dúvidas não contempladas neste guia, contate a Comissão Editoral pelo e-mail rau.ppgas@gmail.com.

A seguir, apresentam-se as normas para publicação na R@U. Em vista de tornar a adequação mais fácil, disponibilizamos também uma máscara [descarregar .docx] na qual o autor pode digitar seu texto, usando os formatos já estabelecidos pela R@U.


Tipos de contribuições

Artigos inéditos

Até 10.000 palavras, incluindo referências bibliográficas e notas.

Ensaios bibliográficos

Até 4.500 palavras, incluindo referências bibliográficas e notas: resenhas críticas de apenas um livro ou de vários livros tratando de assuntos correlatos.

Relatos de pesquisa

Até 4.500 palavras, incluindo referências bibliográficas e notas.

Cadernos de imagens

Ensaios devem conter um mínimo de 6 e um máximo de 18 imagens, que podem se tratar de fotografias, desenhos, ilustrações, etc. O texto de apresentação não deve superar as 2.500 palavras, incluindo referências bibliográficas e notas.

Resenhas bibliográficas

Até 2.500 palavras: pequenas resenhas de livros recentes (até 2 anos para aqueles editados no Brasil, e até 5 anos para os livros estrangeiros).


Normas gerais

Os trabalhos deverão ser submetidos ao e-mail rau.ppgas@gmail.com; caso sejam resenhas, estas deverão ser submetidas ao e-mail rau.resenhas@gmail.com

Artigos

  • Devem conter, nesta ordem:
    • título e, se necessário, subtítulo;
    • nome completo do(a) autor(a);
    • dados profissionais – titulação, área e instituição a que o(a) autor(a) está vinculado;
    • resumo, em português e inglês;
    • palavras-chave, em português e inglês.
  • Devem seguir os padrões estabelecidos neste guia.

Ensaios

  • Devem conter título e, se necessário, subtítulo;
  • Devem seguir os padrões estabelecidos neste guia.

Resenhas

  • Não devem receber título, pois o título deve ser a referência da obra resenhada;
  • Devem seguir os padrões estabelecidos neste guia.

Diretrizes para ­­­­­formatação do texto

Título e subtítulo

Centralizado, em negrito, em fonte Times New Roman, tamanho 14.

Nome do autor

Após o título, deve constar o nome completo do(a) autor(a), em fonte Times New Roman, tamanho 12, espaçamento simples, alinhado à direita.

Titulação, área e instituição

Abaixo do nome do(a) autor(a), devem constar sua titulação (mestrando(a), doutorando(a), pós-doutorando(a), professor(a) adjunto(a), etc.), área (em Antropologia Social, em Antropologia da Política, em Ciências Sociais, etc.) e nome, por extenso, da instituição a que se vincula. Se for de interesse inserir outras informações, colocar em nota de rodapé vinculada no nome do(a) autor(a).

Resumo e Abstract

Entre 100 e 150 palavras, em fonte Times New Roman, tamanho 12, espaçamento simples.

Palavras-chave e keywords

De três a cinco palavras, separadas por ponto e vírgula.

Parágrafo comum

Todos os tipos de contribuições devem ser apresentados em fonte Times New Roman, tamanho 12, espaçamento 1,5, texto justificado, com recuo de 1,25 cm na primeira linha e com margens de 3 cm.

Citações diretas

As citações com mais de três linhas devem estar em fonte Times New Roman, tamanho 11, espaçamento simples, texto justificado. Devem aparecer em parágrafo separado, com recuo de 4 cm.

Referências e notas de rodapé

As notas devem vir no rodapé da página, não podendo consistir em simples referências bibliográficas. Estas devem aparecer no corpo do texto com o seguinte formato: (sobrenome do autor /espaço/ ano de publicação: /espaço/ páginas), conforme o exemplo: (Bott 1954: 160-162). As notas de rodapé devem ter fonte Times New Roman, tamanho 11, espaçamento simples, texto justificado.

As referências devem ser inseridas ao final do texto, em ordem alfabética do sobrenome dos(as) autores(as) e respeitar a formatação indicada mais à frente neste guia. Devem aparecer em fonte Times New Roman, tamanho 12, espaçamento simples entre linhas, espaçamento de uma linha entre parágrafos, texto justificado.

Formatação de ilustrações

  • Quadros e tabelas

O texto de quadros e tabelas deve possuir fonte Times New Roman, tamanho 11, alinhamento centralizado. Os quadros e tabelas em si devem estar centralizados no texto. Abaixo deles, devem constar legenda e fonte de onde se tirou o quadro ou a tabela.

  • Figuras

As figuras devem estar centralizadas no texto. Abaixo delas, devem constar legenda e fonte de onde se tirou a figura.

Legenda de figuras, quadros e tabelas

As legendas devem estar em fonte Times New Roman, tamanho 11, espaçamento simples, texto justificado. A legenda consta de: tipo de ilustração (figura, quadro ou tabela), seguido do algarismo arábico que indica a ordem da ilustração, ambos em negrito. Em seguida, deve constar um título para a ilustração, sem formatação (texto regular).

Fonte de figuras, quadros e tabelas

Abaixo da legenda, deve ser mencionada a fonte de onde se tirou a figura, o quadro ou a tabela, também sem destaque, com tamanho da fonte 11.


Diretrizes para apresentação de citações

Os nomes dos autores aparecem em letras minúsculas, dentro ou fora de parênteses, seguido da data de publicação da obra. Em citações diretas, a indicação do número da página é obrigatória.

Exemplos:

De acordo com Said (1990), se na visão de Nerval o Oriente é esvaziado, já a de Flaubert é corporal.

De acordo com Said (1990: 192), “em comparação com a visão negativa de Nerval de um Oriente esvaziado, a de Flaubert é eminentemente corporal”.

Se na visão de Nerval o Oriente é esvaziado, já a de Flaubert é corporal (Said 1990).

Pode-se pensar essa questão de modo comparativo: “em comparação com a visão negativa de Nerval de um Oriente esvaziado, a de Flaubert é eminentemente corporal” (Said 1990: 192).

Dois autores ou mais

Separam-se os nomes por “&” ou “vírgula” e “&”.

Exemplos:

De acordo com Leitão & Eckert (2000: 12), “a noção de indivíduo como algo sagrado, autossuficiente e independente do grupo seria, assim, uma das características da modernidade ocidental”.

“A noção de indivíduo como algo sagrado, autossuficiente e independente do grupo seria, assim, uma das características da modernidade ocidental” (Leitão & Eckert 2000: 12).

De acordo com o Código Civil de 1898, já era possível aos olhos das leis de inspiração ocidental a disrupção na linha de sucessão/herança a favor do próximo filho (Masuoka, Masuoka & Kawamura 1962).

Duas ou mais obras do mesmo autor

São separadas por vírgula.

Exemplos:

Veja os balanços periódicos publicados em Ricardo & Ricardo (1991, 1996, 2001).

Já se discutiu suficientemente a conjuntura por que passou a FOIRN nos seus primeiros anos de existência em outras ocasiões (Andrello 2006, 2008).

Duas ou mais obras de autores diferentes

São separadas por ponto e vírgula.

Exemplos:

Refere-se a uma expressão nativa que encontrei durante a minha pesquisa para o mestrado, marcando aqui uma diferenciação importante entre uma comunidade de “japoneses” (Adachi 2004) ou então em relação à percepção racial norte-americana de um grupo hifenizado “nipo-brasileiro” (Lesser 2000, 2003; Tsuda 2003; Linger 2001).


Diretrizes para apresentação de referências

Pede-se atenção à pontuação, espaços, uso do itálico e de maiúscula.

  • os sobrenomes dos autores são apresentados com letras maiúsculas;
  • os primeiros nomes são apresentados por extenso, e os demais podem ser abreviados;
  • o grifo é dado em itálico;
  • entre uma referência e outra há um espaço de uma linha.

Livro

ANDRELLO, Geraldo. 2006. Cidade do Índio: Transformações e cotidiano em Iauaretê. São Paulo: Editora Unesp/ISA/NuTI.

Capítulo de livro

VIVEIROS DE CASTRO, Eduardo. 2008. “Perspectivismo indígena”. In: B. Ricardo & M. Antogiovani (ed.), Visões do rio Negro. São Paulo: ISA. pp. 83-92.

Publicação em periódico

ANDRELLO, Geraldo. 2008. “Hierarquias e alianças: política indígena no rio Uaupés”. Teoria & Pesquisa, 18(2):81-96.

Obra organizada

RICARDO, Beto; RICARDO, Fany (org.). 1991. Povos Indígenas no Brasil. São Paulo: CEDI.

Apresentação em evento

MACHADO, Igor J. R. 2006. “Laços de sangue e fluxo de dinheiro: notas sobre o ‘parente ausente’ no contexto migratório transnacional Portugal/Governador Valadares”. In: 25ª Reunião Brasileira de Antropologia, Goiânia.

Tese acadêmica

BIONDI, Karina. 2014. Etnografia no Movimento: território, hierarquia e lei no PCC. Tese de Doutorado. PPGAS, Universidade Federal de São Carlos.

Dois ou mais autores

MASUOKA, Edna C.; MASUOKA, Jitsuichi; KAWAMURA, Nozomu. 1962. “Role Conflicts in the Modern Japanese Family”. Social Forces, 41(1):1-6.

Duas obras de um único autor: o nome do autor é substituído, a partir da segunda obra, por seis traços baixos.

ANDRELLO, Geraldo. 2006. Cidade do Índio: Transformações e cotidiano em Iauaretê. São Paulo: Editora Unesp/ISA/NuTI.

______. 2008. “Hierarquias e alianças: política indígena no rio Uaupés”. Teoria & Pesquisa, 18(2):81-96.